CINEMA: TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME

“Três Anúncios Para um Crime” (Three Billboards Outside Ebbing, Missouri) é um drama de 2017 com direção e roteiro de Martin McDonagh; o longa conta com sete indicações ao Oscar, sendo elas nas categorias de Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Roteiro Original, duas indicações a Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Edição e Melhor Trilha Sonora.

Na trama, Mildred (Frances McDormand) desafia pessoalmente as autoridades locais para resolver o assassinato brutal de sua filha, uma vez que, após sete meses passados do crime, ninguém mais parece se importar com o que aconteceu com a jovem brutalmente estuprada, assassinada, morta, carbonizada e largada na beira da estrada.

Esse desafio se dá por meio de três anúncios colocados em Outdoor’s na mesma estrada onde sua filha foi encontrada, esses anúncios contém mensagens diretas ao Xerife Willoughby (Woody Harrelson) da cidade cobrando uma solução da polícia para o caso.

O ato de desespero de Mildred logo chama a atenção da mídia e de toda a população, porém, nem todos os residentes de Ebbing estão a favor dos anúncios, uma vez que sabe-se que Willoughby está com os dias contados devido à um câncer e não consideram de bom tom a provocação da mulher em uma fase tão complicada para o Xerife e sua família. Entenda que a intenção de Mildred não era de forma alguma acusar o Xerife de negligência, porém, ele como figura que representa a policia da cidade acaba sendo citado.

Então, o longa vai nos mostrando os desdobramentos gerados pelos anúncios de Mildred, temos residentes que não concordam e fazem questão de deixar claro seus pontos de vista demonizando a mãe desesperada, temos o próprio corpo policial descontente com a afronta e esse descontentamento desequilibra ainda mais o já desequilibrado, suspeito em uma acusação de tortura, policial Dixon (Sam Rockwell) que toma atitudes que só servem para colocar ainda mais em dúvida o trabalho da polícia local, o personagem também tem a função de aliviar a tensão do longa com algumas cenas cômicas advindas de sua personalidade camicaze. Como se já não fosse o bastante, Mildred precisa enfrentar a fúria de seu filho que passou a ser vítima de bullying na escola por conta dos anúncios e a violência do ex-marido que a trocou por uma jovem de dezenove anos.

O primeiro e segundo ato do longa são maravilhosos e a trama te prende até o final, esse é um daqueles filmes que te prendem de uma forma que você não consegue ver o tempo passar. E o grande mérito do longa está justamente na atuação de Frances McDormand que interpreta com maestria uma mãe desesperada que está disposta a tudo para colocar atrás das grades o responsável pela morte da filha, sem se importar com que uma cidade inteira vai pensar acerca de seus métodos para conseguir alcançar seu objetivo maior, a atriz soube muito bem passar para o telespectador a avalanche de sentimentos que a personagem Mildred exige, da crueza e energia até à depressão e sensação de impotência.

Mas não é somente ela que brilha aqui, Woody Harrelson também está incrível no papel do Xerife da cidade, guardando uma surpresa que eu pelo menos nunca esperaria de acordo com o que foi passado sobre o personagem até aquele momento. Sam Rockwell também impressiona como o descontrolado policial Dixon e o arco de redenção desse personagem é bem emocionante.

Contudo, o terceiro ato do longa é um tanto quanto decepcionante em retrospecto aos outros atos. É compreensível que o intuito do roteiro era mostrar o quanto esse crime transformou os habitantes de Ebbing, mas senti falta de uma conclusão melhor para o caso da filha de Mildred, além disso, não entendi muito bem o motivo pelo qual o filme figura entre os selecionados na categoria de Melhor Trilha Sonora, pois não notei nada de marcante aqui nesse quesito.

“Três Anúncios Para Um Crime” é um drama repleto de incríveis atuações, com um tema forte, criticas igualmente fortes e pertinentes sobre o trabalho da polícia, a necessidade de ter que provocar as autoridades para ter a voz ouvida, a manipulação da mídia e acima de tudo a importância ou a falta de importância que a sociedade confere à figura feminina. Não me surpreenderia que o Oscar das categorias de Melhor Atriz e Melhor Ator Coadjuvante desse ano fossem entregues aos nomes envolvidos nesse longa.

Quantos cafés “Três Anúncios Para Um Crime” merece?

3 comentários sobre “CINEMA: TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.