LIVRO: Todo Dia – David Levithan

“Todo Dia” é um livro jovem adulto publicado aqui no Brasil pela Galera Record, esse é o décimo livro escrito pelo autor David Levithan e conta com uma continuação spin-off que também já foi lançada aqui no Brasil, o livro “Outro Dia”.

A obra foi escolhida para a leitura coletiva do mês de Fevereiro do grupo Pacto Literário, caso você ainda não conheça esse grupo, do qual participo, entre no nosso grupo do Facebook e venha ler conosco.

Toda manhã, A acorda em um corpo diferente, vivendo uma vida diferente. Não há qualquer aviso sobre quem será ou onde estará em seguida. De menina a menino, rebelde a certinho, tímido a popular, saudável a doente; A precisa se adaptar.

E sempre foi assim, o personagem desconhece um tempo no qual pode ser que tenha chegado a ter um corpo só seu e por isso, ele já se adaptou a essa realidade e até criou algumas regras para si. Primeira: nunca se apegar; Segunda: jamais interferir. E tudo ocorre bem quando A segue suas regras, porém, ao acordar no corpo de Justin e conhecer sua namorada Rhiannon, algo muda para A.

Sim, A se apaixona por Rhiannon e acaba interferindo em seu relacionamento com Justin no dia em que acorda em seu corpo. A não entende como uma garota tão incrível como Rhiannon pode ser tão maltratada pelo namorado e ainda continuar ao seu lado sofrendo calada e sempre se culpando pelas atitudes escrotas do rapaz, então, decide que seu dia no corpo de Justin será dedicado à fazer desse o melhor dia do mundo para Rhiannon.

Porém, ao final do dia, A é obrigado a deixar o corpo que “usou” e é enviado para um outro corpo, isso ocorre toda manhã, mas o seu dia com Rhiannon despertou algo forte o suficiente para que A passasse a quebrar todas as suas regras. Então, ele passa a se envolver com Rhiannon todos os dias mesmo que em corpos diferentes.

Aos poucos A cria coragem e conta toda a verdade para Rhiannon e a garota precisa aprender a lidar com alguém que está apaixonado por ela e que ela também está começando a se apaixonar, sabendo que esse alguém é uma pessoa diferente todos os dias, pelo menos por fora, e acima de tudo, criar coragem para terminar de vez o relacionamento abusivo que tem com Justin.

Eu particularmente não gosto de ler romances, mas a forma com que o autor conduziu o romance na trama, introduzindo questionamentos super interessantes todos os dias e fazendo com que Rhiannon, que seria uma representação do leitor, refletisse sobre tais questionamentos, é simplesmente genial.

É somente nos pontos mais delicados que fica complicado e controverso, a incapacidade de perceber que, não importa qual seja nossa religião, sexo, raça ou localização geográfica, todos nós temos cerca de 98 por cento em comum com todos os outros. Sim, as diferenças entre homens e mulheres são biológicas, mas se você observa a biologia como uma mera questão de porcentagem, não há muita coisa diferente. A raça é diferente apenas como uma construção social, e não como uma diferença inerente. E quanto à religião, quer você acredite em Deus, Javé, Alá ou qualquer outra coisa, é provável que, em seu coração, vocês queiram a mesma coisa. Por uma razão qualquer, nós nos concentramos nos dois por cento da diferença, e a maior parte dos conflitos que acontece no mundo é consequência disso.

Essa é somente uma das incríveis citações inspiradoras e “tapa na cara com força” do livro e me lembrou bastante de uma das minhas citações favoritas de Harry Potter, quando Alvo Dumbledore diz “O problema é que os seres humanos têm o condão de escolher exatamente aquilo que é pior para eles.”

Temos esse personagem que todos os dias acorda em um corpo diferente e esse fato o ajudou a entender melhor o ser humano, então durante todo o livro temos vários tapas na cara dados com força, fazendo da leitura não somente um entretenimento e sim algo com aspectos motivacionais e inspiradores. Em diversas passagens do livro eu tive que parar e reler certo diálogo ou pensamento de A, pois foi bem difícil acreditar que estava lendo questões tão importantes e profundas sendo tratadas em um livro jovem adulto com uma intensidade e profundidade ímpar para livros do gênero que já li.

Há aqui questionamentos acerca de religião, sexualidade, padrões de beleza, relacionamentos abusivos, machismo, dentre outros e todos eles são tratados e encarados de forma natural pelo protagonista, e esse seu jeito de encarar as coisas com naturalidade acabam transformando não só Rhiannon como também o leitor na medida que ele se permite absorver e aprender com a experiência de A.

“Todo Dia” é um livro de leitura fluída, simples, porém recheado de mensagens importantes e surpreendentemente profundas para um livro jovem adulto, o que me deixa muito feliz, uma vez que, se os jovens começarem a ler conteúdos como este cedo e aprenderem que a empatia e o amor são maiores que qualquer diferença que possamos vir a ter, ainda há esperança para este mundo!

Quantos cafés “Todo Dia” merece?

8 comentários sobre “LIVRO: Todo Dia – David Levithan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.