CINEMA: UM LUGAR SILENCIOSO

Um Lugar Silencioso (A Quiet Place) é um Thriller de Horror dramático e pós-apocalíptico dirigido por John Krasinski, que também atua no longa, e que acaba de ser lançado no Brasil e é sem dúvidas um dos pretendentes ao cargo de melhor filme do gênero em 2018 desde já!

Em um futuro pós-apocalíptico acompanhamos uma família que é forçada a viver em silêncio enquanto precisam se esconder de criaturas mortais cegas que caçam através do som. Nesse cenário, Lee Abott (John Krasinski), sua mulher Evelyn (Emily Blunt)e seus dois filhos, a jovem com deficiência auditiva  Regan (Millicent Simmons) e o apavorado e nervoso Marcus (Noah Jupe) precisam juntar os cacos após a morte do caçula Beau (Cade Woodward) sem emitir sequer um ruído.

A morte do caçula implica em um fardo que todos os integrantes da família são obrigados a carregar e eles precisam descobrir juntos como a dinâmica familiar deve se reconstruir para que não acabem engolidos ou por um silêncio cada vez mais profundo, ou pelo desespero que anuncia a morte; como se não fosse o bastante, a família também precisa descobrir como lidar com a gravidez de Evelyn e com a cada vez mais próxima chegada do novo membro da família Abott nesse mundo de silêncio, contenção e dor.

O longa é extremamente tenso, eu sou muito fã do gênero e preciso dizer que nunca passei por uma experiência parecida. A tensão aqui extrapola todos os limites do que já foi visto anteriormente em produções do gênero. Na medida que o diretor te conduz sem pressa alguma pelo ambiente e demora o tempo necessário para te mostrar como essa família se adaptou a essa nova realidade, a tensão vai crescendo até seus nervos parecerem  ser feitos de pedra.

Ao contrário do que se tem feito com o uso de jump scares em longas do gênero, aqui eles funcionam justamente pelo contexto da atmosfera silenciosa, você fica a todo momento torcendo para que aquele barulhinho ínfimo que fizeram não seja suficientemente alto para atrair uma criatura. Esse fato aliado a uma competente edição de som e as atuações interiorizadas pelos atores torna a assistência do filme enervante, desesperadora e cruel. O design das criaturas está muito competente e elas aterrorizam de verdade, eu poderia descrevê-las como uma fusão de Alien e Verdugos (Maze Runner).

Emily Blunt está tão sensacional nesse longa que é até ridículo eu falar que a sua atuação foi incrível, ela consegue conter seus sentimentos, sensações e dor e o público consegue sentir essa contenção, as cenas que a envolvem são as mais desesperadoras do longa. John Krasinski além de ter feito um excelente trabalho na direção, não deixou por menos na sua entrega interpretativa, o ator convence como um pai desesperado para manter a sua família segura custe o que custar.

O núcleo infantil não deixa nada a desejar, Millicent Simmons está excelente e seu arco é o melhor construído dentre os personagens, como eu disse lá no começo da resenha, os membros da família se culpam pela morte do caçula, mas nenhum deles sente tanto o peso quanto a jovem Regan.

“Um Lugar Silencioso” não te deixa desgrudar da cadeira e te faz temer até mesmo o barulho que você emite ao mastigar a pipoca do cinema, é tenso, cruel, emocional, dramático, assustador e tem todos os elementos que um bom filme de terror deve ter, prepare as unhas, o estômago, o coração e vá ao cinema mais próximo conferir essa pérola do gênero!

Quantos cafés tomados em silêncio “Um Lugar Silencioso” merece?

2 comentários sobre “CINEMA: UM LUGAR SILENCIOSO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.