QUINZENA INDEPENDENTE – EDIÇÃO 1

Todo ano tento criar alguma novidade para o conteúdo que produzo para a internet, foi assim que surgiram os especiais #MaioScifi, #JulhoNacional, #MêsDoHorror e o podcast do blog que criei ano passado. Esse ano, a sanidade bateu a porta e decidi não criar esse tipo de projeto mensal, pois é bem trabalhoso e consome boa parte do meu tempo livre, então pensei em um outro formato para indicar conteúdos temáticos e conseguir encaixar essa tarefa na minha agenda.

O #QuinzenaIndependente é um projeto que acontecerá quinzenalmente, onde trarei um post com resenhas de livros, contos ou histórias em quadrinhos lançadas de forma independente ou de criação independente e, em complemento, projetos de financiamento coletivo que estão acontecendo no momento.

Como sempre faço com meus projetos, convidei meu amigo Johncito para criar a ilustração do #QuinzenaIndependente. A ideia era retratar um leitor digital, pois publicações digitais costumam ser a ferramenta mais utilizadas por artistas independentes, ficou linda né? Confira o trabalho do John na página dele no Instagram.

O meu objetivo é bem simples, apresentar e conhecer atores, quadrinistas e ilustradores independentes! Bora tomar um café?

Assim como o meu gosto pessoal, o projeto será bem diverso, nessa primeira edição trouxe um quadrinho sobre gatos pretos e uma criatura mágica que concede desejos, um conto de horror cósmico, uma novela de ficção científica e uma antologia de ficção científica que está em sua reta final de apoio no Catarse, sem mais delongas, vamos conhecer essas obras!

Quadrinho

“Treze” é uma história em quadrinhos criada por Camila Abdanur e lançada no ano passado durante a CCXP, o quadrinho sáfico foi financiado em uma campanha no Catarse, onde 7% de sua arrecadação foi revertida para uma ONG de animais.

Na trama conhecemos Olivia, uma garota que, ao adotar seu décimo terceiro gato preto, recebe a visita de um ser mágico: Tina, que lhe oferece três desejos. Como qualquer pessoa com plenas faculdades mentais, Olivia se espanta ao se deparar com uma estranha em sua casa lhe prometendo três desejos pelo fato dela simplesmente ter adotado um décimo terceiro gato preto, o Dragão, mas ciente de que…

  • Não pode deixar a maluca, que jura que não é maluca, na rua;
  • Não é todo dia que se esbarra com a possibilidade de ter três desejos atendidos;
  • Já conhece histórias suficientes para saber que pedir desejos sem pensar muito bem sobre eles é pedir para dar merda.

Olivia decide aceitar Tina em casa e se vê obrigada a conviver com a garota até descobrir o que realmente deseja.

A convivência das garotas não é das mais difíceis, pois a recém-chegada adora gatos pretos, assim como Olivia que, desde pequena, sempre gostou de gatos pretos e o destino sempre trouxe novos gatinhos para a sua vida, desde gatos de ninhadas grandes que ninguém adotou por puro preconceito até o mais recente, encontrado abandonado na rua.

No tempo que passam juntas, Olivia mostra para Tina os prazeres do nosso mundo humano (com direito à várias referências a coisas que eu também amo demais, como “Oséias”, “Arlindo”, “Um Milhão de Finais Felizes” e burritos) e, com o tempo, elas começam a se apegar, surgem os primeiros dois pedidos e por fim um grande impasse que envolverá uma escolha bem difícil.

Eu gostei muito de “Treze” e fiquei orgulhoso de como a Camila evoluiu desde o “Uma Página Só”, o quadrinho foi feito com doses cavalares de amor, seja ele o da artista pelo seu trabalho e seu gatinho preto Salem, seja o de sua namorada que sempre a apoia e ajudou a revisar o texto do quadrinho, dos seus amigos que acabaram virando referências na história e também do público que embarcou na ideia e financiou esse projeto maravilhoso. Essa é o segundo projeto da CahLac que eu apoio e vou continuar apoiando todos que ela lançar daqui pra frente, pois o trabalho dela é lindo, representativo e, como eu disse anteriormente, feito com muito amor.

Conheça o trabalho da Cahlac seguindo ela no Instagram e no Twitter.

Horror Cósmico

“Atenção! Imagens Fortes” é um conto do autor Charlitto Ogami que já apareceu por aqui com os contos “A porta azul-turquesa”, “Não deixe o monstro despertar”, “Devaneios de uma manhã de verão” e também do quinto episódio do podcast.

Na trama, em um primeiro momento, conhecemos Elias, um jovem muito tímido que vê na internet a única forma de conseguir se comunicar com mulheres, é em um aplicativo que ele conhece a Delicious_Masked33, uma mulher linda e desinibida que, apesar de toda a timidez de Elias, insiste em querer encontrá-lo pessoalmente, prometendo ter paciência com o garoto e habilidades suficientes para destravá-lo em mais de um sentido.

Certa noite, a mulher misteriosa e mascarada do chat decide que chegou a hora de conhecer Elias pessoalmente e, mesmo com toda a relutância do rapaz, consegue dobrá-lo à sua vontade. A exaustão de sua condição faz com que Elias aceite a mulher misteriosa em sua casa e ele se prepara para uma noite que mudará a sua vida para sempre, porém, não da forma que ele esperava.

Enquanto Elias encara sua timidez, conhecemos Michelle, uma repórter incumbida de uma reportagem sobre uma morte estranha, porém, o evento vai ganhando contornos bem maiores conforme as investigações avançam e a repórter está disposta a registrar absolutamente tudo, mesmo que as cenas sejam fortes demais para serem transmitidas na TV aberta.

“Atenção! Imagens Fortes” não é um título mentiroso, o livro contém cenas bem fortes e extremamente nojentas e a descrição do autor faz com que seja possível viver a perturbação das cenas enquanto seus olhos correm pelas 38 páginas do conto. A história começa como uma espécie de alerta aos perigos de se relacionar por internet ou por aplicativos e bruscamente ganha contornos sobrenaturais e o horror cósmico entra chutando a porta de forma que fiquei um tanto que atordoado, precisando voltar algumas páginas para entender se aquilo estava mesmo acontecendo.

Essa mudança de clima e foco pode não agradar alguns leitores, é compreensível, mas me agradou bastante, pois as minhas histórias favoritas do autor até o momento são aquelas que flertam com o horror cósmico de forma mais explícita e, se tem algo que esse conto não deixa faltar, são cenas explícitas. Se terror, horror e emoções fortes são elementos que te agradam em um conto, não deixe de conhecer “Atenção! Imagens Fortes”.

Conheça o trabalho do autor Charlitto Ogami seguindo ele no Instagram.

Ficção Científica

“Oceanïc” é a primeira publicação do autor Waldson Souza, a novela publicada no final do ano passado em formato digital pela editora independente Dame Blanche, é uma história de ficção científica que me fisgou desde as suas primeiras páginas. A humanidade como conhecemos não existe mais, as pessoas agora vivem em metrópoles construídas nas costas de criaturas marinhas gigantes chamadas de tartarugas, Oceanïc é a maior dessas metrópoles e é lá que os soldados da Corporação Avanço começam a perseguir um casal.

Rafa tem seu expediente no Silver Burguer interrompido por um cliente que parece mais um fantasma do passado. Jonas, seu ex, aparece no drive-thru para fazer dois pedidos, o óbvio e a companhia de Rafa. Eles se reaproximam e acabam transando, mesmo Rafa tendo consciência de que está cometendo o mesmo erro uma segunda vez (a Dua Lipa fez até uma música sabe Rafa, peloamordedeus) com a mesma pessoa, o que ele não imaginava é que esse erro fosse resultar em uma confusão tão grande com implicações tão surreais para a sua vida e realidade.

No dia seguinte Rafa acorda doente e Jonas acaba confessando que transmitiu algo para ele, algo que precisa pegar de volta por meios terríveis levando em conta a atual situação dos dois. Porém, eles não chegam a ter tempo de pensar muito sobre isso, pois a Corporação também parece muito interessada em descobrir como aconteceu essa transmissão e como pegá-la de volta.

A trama não é construída de forma cronológica, fato que propícia algumas reviravoltas bem interessantes que permitem que o leitor tenha uma impressão diferente de Jonas, além da visão apresentada por Rafa. O universo criado pelo autor me deixou com um gosto intenso de quero mais ao final da leitura, eu finalizei a novela sem acreditar naquele final, aflito por respostas e uma continuação que eu espero que chegue logo.

Vestido com uma roupa sci-fi “Oceanïc” se mostra algo bem mais real quando despido da parafernália tecnológica. Questões importantes como responsabilidade emocional e afetiva, questões sociais, amadurecimento, sexualidade e sede de poder são algumas das que o autor aborda muito bem enquanto nos apresenta um universo rico e intrigante. Eu não sei você, mas eu vou ficar de olho em tudo que o autor lançar daqui pra frente!

Você pode adquirir a versão digital de “Oceanïc” clicando aqui, não deixe de seguir o autor no Twitter para ficar por dentro de futuras publicações.

Financiamento Coletivo

Você tem o costume de apoiar projetos de financiamento coletivo? Creio que já tenha ficado bem claro o quanto eu gosto de me aventurar pela literatura nacional e incentivar trabalhos de artistas independentes e plataformas de financiamento coletivo são ótimas formas de conhecer novos autores e quadrinistas que estão fora das grandes editoras por questões diversas, desde a crise no mercado editorial, até a falta de interesse em dar oportunidade para autores que podem ou não vender.

Foi com projetos de financiamento coletivo que conheci trabalhos como a arte da CahLac, que mencionei nesse mesmo post, a revista independente de contos pulp “Diário Macabro”, o excelente projeto “Teocrasília” do Denis Mello, dentre outros projetos que já divulguei por aqui.

Foi pensando nisso que decidi inserir um financiamento coletivo em cada edição do #QuinzenaIndependente, afinal, muitos desses nomes citados poderiam nem ter conseguido publicar seus trabalhos se não fossem plataformas de financiamento coletivo e o interesse do público de fomentar o trabalho de artistas independentes. Nessa primeira edição, escolhi o projeto “Vislumbres de um futuro amargo” da Agência Magh.

A premissa do livro foi elaborada em cima de algumas previsões de Stephen Hawking para o futuro da humanidade, mas cada autor foi livre para escolher com qual ou quais trabalhar. O resultado são os seis contos a seguir, cada um bem diferente do outro, mesmo que abordem questões semelhantes como exploração espacial ou inteligência artificial.

Em Antônio do Outro Continente, Anna Martino fala sobre as relações entre a Terra e as colônias nos satélites artificiais que parecem estranhas como nacionalismo e pátria quando se vive num pedaço de metal acima do planeta. Em Corra, Alícia, Corra, Lady Sybylla descreve a história de um futuro em que humanos vivem no subterrâneo e uma jovem sonha em ver a superfície do planeta. Já Waldson Souza, em Eletricidade em suas veias, traz um conto afrofuturista com criaturas místicas e androides, passando pela evolução da sociedade humana.

Lu Ain-Zaila traz alertas bem atuais relativos à segurança de dados e algoritmos que moldam nossas vidas, em uma aventura de tirar o fôlego no conto também afrofuturista Eu, Algoritmo. Em O Pingente, Cláudia Fusco conta a história pelo ponto de vista de uma inteligência artificial responsável por cuidar de uma criança humana e acompanhar seu desenvolvimento, ficando no limiar entre uma máquina com funções específicas e uma amiga que faz parte da família. Por último, Roberto Fideli fecha a coletânea com SIA está esperando, uma emocionante história de uma nave de combate espacial que cai num planeta desconhecido e precisa salvar sua tripulação.

Alguns desses nomes eu já conheço da antologia “Histórias (mais ou menos) assustadoras”, uma coletânea de terror lançada pela Agência Magh e estou bem curioso para conhecer a escrita de Lu Ain-Zaila e Cláudia Fusco, além de conferir uma nova história escrita pelo Waldson, uma vez que gostei muito de “Oceanïc”.

Você pode apoiar esse projeto até o dia 25 desse mês, com valores à partir de R$10,00 (livro em formato digital) e R$55,00 (livro em formato físico), podendo escolher entre diversas modalidades com itens extras como cartões postais com ilustrações exclusivas para cada uma das histórias, marca páginas e até mesmo um planner mensal, acesse o projeto no Catarse para mais detalhes.

Espero que você tenha gostado dessa primeira edição do #QuinzenaIndependente, caso chegue a ler alguma dessas indicações use a # para que eu possa te encontrar nas redes sociais.

Caso você seja um autor ou artista independente e queira ver seu trabalho resenhado aqui, ou tenha alguma dica de livros, quadrinhos e projetos em financiamento coletivo, envie um e-mail para umcafecomluke@gmail.com com o assunto Quinzena Independente apresentando seu projeto ou dando sua dica. Grande abraço e até o próximo café!

Um comentário sobre “QUINZENA INDEPENDENTE – EDIÇÃO 1

  1. RODRIGO LUCAS disse:

    Adorei o projeto. Vamos ajudar a divulgar. Chega de livros repetitivos de grandes editoras que só servem pra encher os bolsos de grandes corporações. Quantas jóias literárias estão perdidas por aí!!! Bela iniciativa!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.