SÉRIE: SEX EDUCATION – 2ª TEMPORADA

“Sex Education” é uma série original da Netflix criada por Laurie Nunn, que conquistou o meu coração ano passado com sua sensacional 1ª temporada com uma premissa simples, ambiente escolar e muita representatividade. A 2ª temporada da série chegou na plataforma de streaming no dia 17 de janeiro e precisei economizar episódios, pois não queria que chegasse ao fim.

Após os eventos da 1ª temporada, Otis (Asa Butterfield) deixou de prestar serviços de aconselhamento sexual na escola, tendo mais tempo para se dedicar ao seu relacionamento com Ola (Patricia Allison), inclusive tempo para pesquisar algumas técnicas no Google (safadinho). Enquanto isso, sua ex-parceira de clínica, Maeve (Emma Mackey) precisa lidar com o fato de ter sido expulsa da escola, estar trabalhando em um serviço que não gosta e com o retorno de sua mãe que a abandonou anos atrás por um vício e um macho escroto.

Esses são apenas dois exemplos para ilustrar uma das grandes mudanças da série em relação a primeira temporada, agora o roteiro isola seus personagens com o intuito de desenvolver melhor suas personalidades e, por consequência, fazer com que eles se conheçam melhor e que o telespectador os conheçam melhor também.

Tudo nessa temporada, na minha modesta opinião, acontece pela falta de comunicação entre os personagens e o medo de entrar em conflito, isso se exemplifica em absolutamente todas as relações da série, desde o receio que Jean (Gillian Anderson) tem de revelar seu relacionamento com Jakob (Mikael Persbrandt), afinal ele é pai da namorada de seu filho, passando pela vergonha, receio e desejo que Maureen (Samantha Spiro) tem de confrontar os aspectos que transformaram seu casamento com Michael Groff (Alistair Petrie) em uma represa de sentimentos que já acumula rachaduras demais, até a infelicidade de Jackson (Kendar Williams-Stirling), que não sabe como fazer para deixar claro que a pressão que uma de suas mães está colocando sobre sua carreira esportiva não está fazendo bem nem pra ele e nem para o relacionamento de suas duas mães.

Otis, o personagem principal da série, representa muito bem o adolescente insuportável que muitos de nós fomos no passado, ou talvez você seja no presente (e tudo bem), ele não admite o namoro de sua mãe, ainda mais com o pai de sua namorada e faz de tudo (muita birra) para deixar isso bem claro. Ele passa a temporada inteira tomando uma série de decisões erradas, que vão transformá-lo no final dessa temporada, mas hey, isso foi bom, não dava para engolir o adolescente perfeito, racional, sabe-tudo de sexo por mais uma temporada inteira, a desconstrução do personagem era inevitável.

Mas não é somente Otis que se desconstrói, todos os personagens estão fora de suas zonas de conforto, Adam (Connor Swindells) retorna da escola militar e é confrontado constantemente com seus sentimentos em relação à Eric (Ncuti Gatwa) e vai se descobrindo durante a temporada, Eric por sua vez tem a oportunidade de viver um relacionamento com alguém que não tem vergonha de assumi-lo, mas se vê constantemente pensando em Adam.

Maeve, que na minha modesta opinião rouba a temporada para si, é um exemplo do jovem que foi forçado pela vida a amadurecer rápido demais, sendo obrigada a tomar decisões bem difíceis e seguir de cabeça erguida mesmo que seu espírito e coração estejam sendo corroídos. Aimee (Aimee Lou Wood) me arrancou lágrimas ao ser confrontada com uma situação de assédio e a forma com que ela lida com isso partiu meu coração, foi lindo ver a Maeve abrindo os olhos da amiga e o sétimo episódio da segunda temporada é simplesmente perfeito graças à todas as mulheres dessa história.

Mais uma vez, “Sex Education” consegue tratar de temas muito fortes com muito bom humor, sutileza e responsabilidade, a falta de diálogo que destrói relações e relacionamentos, a culpa que a vítima em uma situação de assédio sente, o trauma que esse tipo de situação execrável causa nas vítimas, a pressão que todos os jovens sofrem seja pela sociedade ou pelos próprios pais, relacionamentos familiares problemáticos e inversão de papeis parentais, a descoberta ou redescoberta sexual, as angústias e receios que escondemos atrás de roupas coloridas e as diversas consequências das nossas decisões ou ações impensadas. A única coisa que não me deixou muito feliz nessa temporada foi o arco e as decisões do Eric, sério, eu fiquei bem triste por ele, espero que ele acorde para Jesus logo.

“Sex Education” é uma série que, com toda a certeza, não perderá sua importância e relevância com o passar do tempo, creio que os assuntos abordados são um tanto quanto atemporais e a novidade de explorar também os dramas dos personagens adultos, fazem dessa série um must see para pessoas de qualquer idade. Eu creio que a próxima temporada deva ser a última da série e estou bem curioso para saber como essas histórias vão se encerrar.

Quantos cafés a segunda temporada de “Sex Education” merece?

2 comentários sobre “SÉRIE: SEX EDUCATION – 2ª TEMPORADA

  1. RODRIGO LUCAS disse:

    Acho que daqui a 30 anos, quando estivermos resenhando de Marte, e por acidente eu ver essa cena do ônibus, com todas as garotas, eu ainda vou chorar de emoção.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Lucas Moreira Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.